sexta-feira, 22 de maio de 2020

Reforço na testagem trará quadro amplo da Covid-19 no Paraná

AENotícias
Curitiba

O Governo do Estado está ampliando testagem para a Covid-19 no Paraná. O processo iniciado nos últimos dias será reforçado ao longo das próximas semanas. A estratégia ajuda na identificação e controle do novo coronavírus e passa pela distribuição de 230 mil testes rápidos aos municípios, além do aumento da capacidade de diagnóstico por meio do RT-PCR, considerado padrão ouro pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A previsão da Secretaria de Estado da Saúde é realizar 200 mil testes RT-PCR nos próximos meses. Com uma maior quantidade de testes sendo feitos, a tendência é que também aumente o número de casos confirmados no Estado, já que a testagem em massa trará um panorama mais claro de quem pegou a doença, inclusive identificando casos leves.

“Cerca de 80% dos casos de Covid-19 são leves, o paciente pode estar com o vírus sem ter a sintomatologia. Quando se aplica um teste rápido ou laboratorial no período correto, confirma-se um diagnóstico que poderia passar despercebido”, explica a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes.

Ela reforça que a grande disponibilidade de testes rápidos e dos diagnósticos laboratoriais (RT-PCR) é fundamental para que o Governo do Estado tenha uma avaliação mais fidedigna do que acontece no Paraná. “Esse planejamento incluiu a ampliação do número de insumos, da capacidade de processamento e avaliação das amostras e da logística para transporte e análise dos testes”, ressaltou.

NOTAS TÉCNICAS 

Na última segunda-feira (18), a Saúde publicou a Nota Técnica 01/2020, que define os critérios e prioridades para os testes RT-PCR, além de orientações para coleta, acondicionamento e transporte das amostras. A normativa esclarece os procedimentos para os municípios, que receberão semanalmente os kits de diagnóstico por meio das Regionais de Saúde do Estado.

De acordo com o documento técnico, a coleta para o RT-PCR deve ser feita até o sétimo dia a partir do aparecimento dos primeiros sinais ou sintomas, preferencialmente entre o terceiro e o quinto dia.

Em relação aos testes rápidos, as orientações foram definidas na Nota Técnica nº 7. Esta modalidade se aplica sete dias depois do início dos sintomas e com, no mínimo, 72 horas após eles terem desaparecidos. Isso porque o teste detecta os anticorpos no organismo do indivíduo.

                             Gentileza:



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário