sábado, 11 de abril de 2020

Dez vereadores em apenas dois partidos pode dificultar a reeleição de alguns

Antonio José 
Da Editoria

Terminado o prazo para que vereador trocasse de partido sem perder o mandato, visando às eleições deste ano, que pela primeira vez não terá coligação, teve um desfecho que pode ser prejudicial para as pretensões de reeleição para 10 dos atuais vereadores.

Duas siglas, a do prefeito Tauillo Tezelli (Cidadania) e do governador Ratinho Júnior (PSD) ficaram com cinco vereadores cada um. Faz muito tempo que uma legenda elegeu mais de quatro vereadores em Campo Mourão, sem contarmos que podem ser eleitos outros candidatos – além dos atuais vereadores – nestas legendas, concluímos sem medo de errar que alguns destes 10 vereadores ficarão de fora.

O Cidadania que já tinha Elvira Schen, Sidnei Jardim, Edson Battilani e Jadir Soares (Pepita), recebeu a filiação de Edilson Martins. O PSD que não tinha nenhum vereador, agora tem Sidney Ronaldo (Tucano), Nelita Piacentini, Miguel Ribeiro, Olivino Custódio e Cabo Cruz.

O vereador Edoel Rocha também trocou de partido, foi para o Democracia Cristã, o vereador Luiz Alfredo foi para o Patriota, o vereador Professor Cícero continua no PT, assim como os quatro vereadores do Cidadania. De todos eles o único que afirma que não disputará a reeleição é o Dr. Luiz Alfredo.

A última vez que uma legenda fez mais de quatro vereadores, foi na eleição de 1996 – salvo engano de nossa pesquisa –, isso em um tempo em que a Câmara elegia 15 vereadores. 

Importante frisarmos que a coligação partidária acabou só para a eleição de vereador, para prefeito a coligação partidária ainda é permitida.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário