quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Casa das Fraldas era inaugurada há 11 anos, em Campo Mourão

Da Redação
  
Foi no fim da tarde de 13 de novembro de 2008, portanto há exatos 11 anos, que aconteceu a inauguração da Casa das Fraldas São José, de Campo Mourão. Nenhum evento foi agendado para marcar o aniversário, mas o projeto de responsabilidade idealizado e liderado por Marta Kaiser Leitner (in memorian) continua a beneficiar – sem alarde – centenas de pessoas em situação de carência que necessitam de fraldas, além de fornecer o produto para várias entidades sociais.

A ação já foi contemplada com vários prêmios pelo alcance social e tem servido como modelo para a implantação em dezenas de outras cidades do Paraná e de outros estados brasileiros. Já há anos funciona, por exemplo, uma unidade similar na cidade de Eduardo Magalhães (Bahia). Todas inspiradas no projeto criado e implantado em Campo Mourão. São muitos os pedidos de informações e orientações que a diretoria da agora Fundação Casa das Fraldas São José recebe de pessoas interessadas em implantar a ação em outras localidades.

A Casa das Fraldas de Campo Mourão (que funciona na Rua Edmundo Mercer, 900 – centro) é resultado direto de desafio lançado no início de 2008 aos acadêmicos do curso de Direito do Centro Universitário Integrado, pela professora e idealizadora do projeto de responsabilidade social, Marta Kaiser Leitner. Também teve o imediato apoio da Associação Comercial e Industrial (Acicam), então presidida por Nestor Bisi, bem como da diretora da então Faculdade Integrado, Conceição Montans Baer. O projeto contou com a ajuda financeira de empresários e professores. Com a colaboração de R$ 10,00 de cada aluno envolvido foram adquiridos os kits de matéria prima para a produção das primeiras fraldas.

Foi no dia 6 de maio de 2008, em uma sala cedida pela Associação Comercial e Industrial (Acicam), no Centro empresarial Cidade, que acadêmicos de Direito do Centro Universitário Integrado reuniram-se pela primeira vez para confeccionar fraldas para repassar a entidades filantrópicas de Campo Mourão. A proposta inicial era mobilizar os futuros advogados, promotores, juízes, etc. para produzir cinco mil fraldas descartáveis, como atividade de responsabilidade social, numa ação temporária.

Já a primeira meta foi superada, com os acadêmicos produzindo 20.830 mil fraldas, entregues ao Lar dos Velhinhos, Lar Dona Jacira e ao Hospital Santa Casa de Campo Mourão. E o projeto de caráter temporário foi transformado em permanente.

Resultados
A ação inovadora acumula uma relevante e expressiva folha de serviços prestados aqueles menos favorecidos e a diversas instituições não governamentais. Na primeira década foram confeccionadas mais de 1 milhão e 400 mil fraldas, distribuídas gratuitamente a pessoas comprovadamente carentes e a instituições não governamentais de Campo Mourão e região que utilizam o produto em larga escala. Fraldas produzidas pelo projeto também foram enviadas para atender desabrigados de enchentes e outros fenômenos climáticos ocorridos em Santa Catarina e na região serrana do Rio de Janeiro, por exemplo.

Com a decisão de tornar permanente a ação, foi implantada a Casa das Fraldas, inaugurada no dia 13 de novembro de 2008. Parte da produção é destinada gratuitamente a entidades filantrópicas de Campo Mourão. Entre elas, o Lar dos Velhinhos Frederico Ozanam, o Hospital Santa Casa, a Apae e o Lar Dona Jacira, entre outras. São instituições onde a fralda é um produto indispensável, que é consumido em larga escala e que consumia parte expressiva dos parcos recursos disponíveis. Ao atender essa demanda, a Casa das Fraldas acaba ajudando também a viabilizar a reforma de instalações, ampliações, aquisição de equipamentos, ampliação da clientela atendida, implementação de novas ações e outras ações dessas entidades.

Porém, não são beneficiadas apenas entidades filantrópicas. Todos os meses, a Casa das Fraldas fornece o produto a centenas de pessoas de Campo Mourão,  comprovadamente carentes, em situação de miserabilidade, devidamente cadastradas. A inclusão dos beneficiados é precedida de uma visita “in loco” para constatar a necessidade e a real situação de carência. A partir daí, a distribuição e o monitoramento tem o apoio da Pastoral da Saúde.

E importante ressaltar que para o idoso ou uma pessoa acamada, por exemplo, a fralda descartável não é um simples produto de higiene. Para as pessoas carentes, atendidas pela ação, a fralda é ingrediente importantíssimo também para o resgate e manutenção da autoestima. Isso porque dificilmente teriam condições de comprar o produto.

Apoio
O trabalho voluntário é outra característica marcante da Casa das Fraldas. São os alunos do Centro Universitário Integrado, membros de clubes de serviços, grupos de amigos, apenados e a comunidade de Campo Mourão que produzem – de forma voluntária – as fraldas.

O projeto ganhou destaque estadual quando recebeu, em 2010, o Prêmio FACIAP – Responsabilidade Social e Desenvolvimento Sustentável. Em 2013, a Casa das Fraldas conquistou o Prêmio Bom Exemplo Paraná, outorgado pela RPC TV e a Fundação Dom Cabral.

No dia 12 de julho de 2017 aconteceu a assembleia de constituição da Fundação Casa das Fraldas São José. A transformação do projeto de ação de responsabilidade social em fundação visou facilitar a captação de recursos financeiros, não apenas junto ao poder público, mas através de doações para abatimento em tributos.

A instituição tem quatro sócios beneméritos: Associação Comercial e Industrial (Acicam), CIEs – Centro Educacional Integrado, Unimed/Regional de Campo Mourão e a Coamo Agroindustrial Cooperativa. Mas a ação é apoiada pelo Poder Judiciário, clubes de serviços, empresas e várias outras instituições.

A advogada, professora e diretora executiva da Associação Comercial e Industrial de Campo Mourão (Acicam),Marta Kaiser Leitner, idealizadora do projeto Casa das Fraldas, faleceu no dia 28 de fevereiro deste ano.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário