segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Observatório Social: Mais de 63 por cento dos valores licitados não ficam em Campo Mourão

Da Redação

A reduzida participação das empresas de Campo Mourão nas licitações realizadas pelo poder público local – Prefeitura, fundações, etc. – tem resultado em expressiva evasão para outros centros de recursos financeiros que poderiam permanecer no Município, estimulando a economia e gerando empregos e tributos. Isso em pleno período de desaquecimento da economia e de queda nas vendas, quando se pressupõe que a meta de qualquer fornecedor de bens e serviços é aumentar as vendas.

Trata-se de uma situação que perdura há anos, apesar das várias ações desencadeadas por entidades locais para estimular o empresariado local no sentido de aproveitar o significativo “nicho” de negócios que representam as licitações públicas. Levantamento realizado pela representação local do Observatório Social do Brasil (OSB), divulgado no fim da semana, aponta que as licitações realizadas este ano pela Prefeitura de Campo Mourão movimentaram R$ 19.052.540.00.

O documento detalha que entre janeiro e agosto, empresas de outras cidades foram vencedoras de licitações que somaram R$ 12.915.099,44, enquanto as empresas mourãoenses ficaram com R$ 6.137.442,62. Também nas licitações realizadas pela Câmara de Vereadores a maior participação é de empresas de outras localidades. Apenas nas licitações da Fundação Cultural (Fundacam) e na Fundação de Esportes (Fecam) predominaram as contratações com empresas da cidade, mas os valores das contratações são reduzidos.

FOMENTO
Com o intuito de aumentar a participação de empresas locais nas licitações, o Observatório Social do Brasil – Campo Mourão atua também na divulgação das concorrências públicas, pregões (presencial e eletrônico), tomadas de preços junto às empresas. A entidade se utiliza do facebook e do Instagram para divulgar os avisos de licitações, além de veicular em sites de notícias, jornais, rádios e na televisão local.

Com a finalidade de reverter a situação, entidades empresariais (como a Associação Comercial e Industrial – Acicam) e também instituições de apoio ao setor (a exemplo do Sebrae) já realizaram diversos cursos, palestras e outras ações voltadas a empreendedores que poderiam vender seus produtos e serviços ao governo municipal. A retenção em Campo Mourão dos recursos financeiros movimentados através das licitações públicas tem sido defendida por todas as diretorias que passaram pelo OSB local, que em 2019 completa 12 anos.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário